domingo, outubro 18, 2009

Sem comentários

henrique pereira dos santos

5 comentários:

Miguel B. Araujo disse...

Henrique,

Eu sinto falta dos comentários pois não é óbvio que que queres transmitir.

Se te estás a referir ao picos de bombeiros por fogo em alturas onde há poucas ignições diárias seria bom considerar que se o número de bombeiros disponível é limitado, é esperável que a quantidade relativa de bombeiros por fogo aumente quando há menos fogos.

Henrique Pereira dos Santos disse...

Miguel,
Na realidade o número de bombeiros por fogo é menos relevante (de maneira geral traduz a dificuldade do combate, mas não nos casos em que praticamente não há fogos como na zona central do gráfico).
Para mim o relevante, que vem na sequência de um dos meus posts anteriores, e outros, é a rapidez com que rapidamente se ultrapassaram os 200 fogos diários depois de dois ou três dias de chuva bastante intensa, por volta dos dias 6, 7 e 8 de Outubro.
henrique pereira dos santos

Anónimo disse...

O número de ignições per se também não traduz, obviamente, a dimensão dos incêndios em causa. Por absurdo, seria concebível um incêndio de magnitude gigantesca, ao qual todos os bombeiros acorressem em massa.

A forma como a coisa é apresentada, incluindo o comentário "sem comentários" (que não deixa de ser um comentário), induz os leitores da Ambio em erro. Foi intencional?

Henrique Pereira dos Santos disse...

Caro anónimo,
Induções voluntárias em erros não fazemos, mas se me explicar a que erro se refere podemos discutir a questão.
henrique pereira dos santos

Rui Pedro Lérias disse...

Este post de facto é completamente vácuo. Poderá ter sido óbvio para o autor, mas para o resto dos comum dos mortais é simplesmente...vácuo.