quinta-feira, julho 12, 2007

Negócios e biodiversidade 3

O título vai-se tornando repetitivo, mas não o conteúdo de que se pretende falar.

Ao contrário do que os profetas moralmente puros temiam, a iniciativa business and biodiversity lá vai fazendo o seu caminho por vias interessantes, diversas e inesperadas.

Em vez de bandos de mafiosos pretendendo predar o valor da biodiversidade sem nada em troca, vão aparecendo mais empresas, composturas diferentes, propostas diferentes e estratégias de relação com a biodiversidade que no seu conjunto são muito estimulantes para quem trabalha em biodiversidade.

De acordo com a notícia do público hoje é a DELTA Cafés a aderir com propostas que englobam todo o ciclo da produção do café, incluindo linhas de trabalho que se pretendem reflectir em regiões produtoras de café (e mesmo na diversidade de variedades de café), no caso em Angola.

Quem diria que a criatividade das empresas ainda nos poria a discutir coisas diferentes do costume em matéria de biodiversidade.

É que para evitar o risco de green washing, temos mesmo de olhar para o que dizem que vão fazer e para o que fazem, para poder separar o trigo do joio.

henrique pereira dos santos

2 comentários:

Ponto Verde disse...

Vereador do ambiente do Seixal sugere que defensores de zona verde poderiam ter ateado fogo a uma floresta para que não construíssem nela!

ver em www.a-sul.blogspot.com

Igor disse...

Gostei do artigo, acho que todas as iniciativas que se encaminhem para perceber que zelar pelo ambiente não implica perder dinheiro. Quanto mais não seja, porque há pessoas que só pensam assim.
Não sei se conhecem o livro Natural Capitalism. Li e fiquei fascinado embora reconheça que, como leigo interessado, não seria difícil.