quinta-feira, junho 05, 2008

O Conselho de Ministros

A informação é tanta, sobre tanta coisa que mais vale ir ler o comunicado deste conselho de ministros.
Até pode ter sido um conselho de ministros sobre ambiente mas quase se lhe poderia chamar conselho da revolução (sabendo que uma coisa são as revoluções outra o que delas efectivamente se concretiza).
henrique pereira dos santos

2 comentários:

Anónimo disse...

Caro HPS,

Consta desse site que o Plano de Ordenamento de Montesinho já foi aprovado. Este tem como objectivo, de acordo com o que lá está escrito, valorizar a paisagem de Montesinho etc etc.

O deputado Mota Andrade disse à RBA que as alíneas 8 e 9 (referentes à proibição da exploração eólica) foram rejeitadas e que seriam revistas por forma a abrirem caminho a um dos maiores crimes ambientais de que há memória neste país.

Que a este senhor foi prometida uma boa maquia de dinheiro caso o mega-parque eólico avance, já todos percebemos, mas será que fala verdade? Provavelmente.

Dirão alguns que é possível conciliar a conservação da natureza com a instalção de parques eólicos. Já vimos no que isso deu. Foram instalados parques eólicos no Alvão e construída uma autoestrada e em pouco tempo a população de lobo-ibérico sofreu uma redução drástica, quando à poucos anos se encontrava estabilizada. Os estradões de terra que lá foram deixados abiraram caminho ao aumento da perturbação humana e à caça furtiva que afastaram e exterminaram as populações de presas do lobo. Esta situação já foi sublinhada pelos técnicos que trabalham no terreno no "Seminário Grandes Infraestruturas e a Conservação do Lobo em Portugal"

A região de Montesinho tem a maior densidade de lobos em Portugal. Criar ali um parque eólico vai, a curto prazo, extinguir a população de lobo na região. Os danos causados na paisagem serão irreparáveis e será desaproveitada uma zona com um potencial de atracção turística imensa.

É preciso impedir isto. Chegou a altura de se acabar com a pouca vergonha que reina em Portugal no que diz respeito à destruição do património natural dos portugueses.

Eu não pago impostos para assistir a isto. É preciso que todos aqueles que querem preservar o nosso património natural se unam contra isto.

Montesinho é muito mais que uma área protegida ou um sítio da Rede Natura. É um símbolo daquilo que ainda é selvagem no nosso país.


Cumprimentos

Daniel Sousa Santos

AC disse...

AC
Concordo plenamente consigo. Já temos um exemplo do efeito da construção dos parques eólicos (e acessos necessários) sobre o lobo em Portugal. No entanto, no Alvão o parque ainda irá crescer e novos acessos serão construídos.
Em Montesinho é mais um crime ambiental. Mas talvez haja dinheiro para criar um centro de recuperação de lobo em cativeiro.

Porque será que a rentabilidade económica dos parques eólicos é posta à frente dos valores naturais de uma região?
Porque não se permite substituir aerogeradores obsoletos nos parques mais antigos? Por uma questão de quotas de produção do parque? Mas será mais importante a conservação do lobo ou a revisão dessas quotas?