quinta-feira, agosto 20, 2009

nada que me surpreenda :(


Há cerca de duas semanas atrás, numa decisão inédita, os quatro elementos do Conselho Fiscal da SPEA demitiram-se em bloco. Não posso deixar de lamentar profundamente esta decisão e o que a motivou.

Gonçalo Rosa

12 comentários:

Anónimo disse...

nomeadamente? ...

JP

Nuno Ribeiro disse...

Estou fora do contexto.

?

aeloy disse...

Gonçalo,
isto é o exemplo perfeito de uma não notícia, que faz lembrar a guerra das escutas,,,
não diz nada,,, insinua uma maçã pobre,,, que lamenta (ás veze4s são as melhores...) o que aconteceu? o que motivou a demissão? o que o surprende?
isto é o exemplo perfeito de um não post.
CC
António Eloy
PS Mais valia não ter colocado nada

Henrique Pereira dos Santos disse...

António,
Não estou de acordo: há uma informação concreta que é relevante, não é uma insinuação.
E uma informação implícita que percebo que crie perplexidades: quinze dias depois desta demissão não há nada no site da SPEA, pelo menos que eu tenha visto.
Estas duas coisas, a existência deste facto e a existência de quinze dias sem que a SPEA diga nada sobre o assunto são em si mesmas justificadoras de um post.
O Gonçalo poderia ter ido mais longe e ser mais explícito? Talvez, mas eu não sei exactamente qual o grau de informação fiável tem sobre o facto central, nem sei se tem informação de vários pontos de vista ou só de uma das partes.
henrique pereira dos santos

Anónimo disse...

o conselho fiscal fiscaliza contas, certo? demite-se em bloco, certo? bom, só falta saber as razões além do que cada um possa supor.

aeloy disse...

Henrique,
o que de facto o post não diz e sim insinua é que há uma maça pobre.
Ficamos sem saber onde está, se são uns "malvados" fiscalistas, se é uma malvada SPEA.
Mais valia não dizer nada, porque assim com base na insinuação podemos pensar sei lá...
Mas é uma opinião....talvez em espera de detalhes....
António E

Gonçalo Rosa disse...

Caro António Eloy,

Obrigado pelo seu comentário.

Com facilmente imaginará, discordo de si, quando afirma que "que isto é o exemplo perfeito de uma não notícia", pelos motivos que o Henrique já elencou.

Soube deste facto por três fontes distintas, que não me oferecem quaisquer dúvidas. E conheço as razões que motivaram esta demissão em bloco, mas prefiro aguardar que seja a própria SPEA a anunciá-las.

Surpreende-me que a SPEA não tenha informado, no devido tempo, os seus associados, permitindo que algumas pessoas que foram sabendo daquele facto, mas que desconheciam as razões que o justificaram, fizessem leituras, não raras vezes incorrectas, sobre o que motivara.

Aguardo pois que a SPEA, noticie o que aconteceu aos seus associados.

Gonçalo Rosa

Gonçalo Rosa disse...

Caro António Eloy,

Porque não sou muito dado à insinuação e à falta de frontalidade, ilustrei este post com uma maçã podre por entender que os comportamentos que levaram a esta demissão são verdadeiros podres que denigrem o movimento ambientalista. Compreenderá melhor quando a SPEA entender explicar devidamente o que aconteceu.

Mas, pela mais elementar das justiças, não posso deixar de assinalar, sublinhando muitas vezes e a grosso, que na SPEA não só trabalham profissionalmente algumas dezenas de técnicos, como com ela colaboram diversos voluntários que nada têm haver com esta maçã podre. E que não merecem nada do que se passou.

Gonçalo Rosa

aeloy disse...

Caro Gonçalo,
Agradeço os esclarecimentos. Não utilizei o substantivo insinuação senão no sentido de "dar a entender", o que como é obvio está desde logo sugestionado.
Uma maça pobre, que não penso que seja biológica, demissão em bloco de um conselho fiscal,e os etcs que vamos apanhando sugerem coisa menos clara.
Mas fico a aguardar...
E sei, penso que como todos, distinguir a nuvem de Juno, e apropriadamente para a SPEA um passarinho que não faz a Primavera...
Veremos...
A

Rui Pedro Lérias disse...

Já houve esclarecimento da SPEA? Penso que não.

Quer isto dizer que quem levantou a ponta tem a amabilidade de dizer o que sabe? Afinal, provavelmente houve carta de demissão a que os sócios da SPEA deveriam ter acesso.

Esclareçam lá isso de uma vez por todas, deixem os juízos aos leitores.

Gonçalo Rosa disse...

Caro Rui Lérias,

Tanto quando sei, não houve esclarecimento da SPEA e nem sequer foi anunciado o pedido de demissão apresentado (pelo menos, no site da SPEA).

Apesar deste pedido de demissão ser facto ocorrido há cerca de um mês e meio, prefiro, por agora, aguardar pelo anúncio da SPEA. Caso assim o entenda - e compreendendo perfeitamente a sua preocupação - sugiro que peça esclarecimentos directamente à SPEA ou, eventualmente, aos membros do Conselho Fiscal demissionários.

Gonçalo Rosa

Rui Pedro Lérias disse...

Caro Gonçalo,

E quanto tempo pretende aguardar?

Não me leve a mal, mas parece estar a ser mais papista do que o Papa. A SPEA não é propriamente a Cúria.

Começo a concordar com comentários anteriores. Se queria aguardar, tinha aguardado para fazer este post também.

Como imagina, imagina-se o pior (fraudes, gastos com obras em casa, etc.). Mas o interesse em saber exactamente o que se passou vai-se esmorecendo. Acaba por ficar, sem se saber muito bem porquê, uma imagem negativa impossível de ser contrariada.

A meu ver, fazia um serviço a todos em esclarecer o assunto de uma vez por todas.

Mas agradeço o seu cuidado em me responder.

Cumprimentos,

Pedro Lérias