domingo, fevereiro 14, 2010

Phil Jones fala sobre o climategate


Com o passar dos meses o furor sobre o climategate vai passando. Entretanto a vida de uma pessoa foi destruída por um julgamento público sem defesa possível. Mas quem se preocupa com isto quando o que conta são os objectivos que, alegadamente, justificariam os meios? Continua por demonstrar a fraude científica do climategate e quando os resultados da comissão de inquérito forem divulgados será, provavelmente, demasiado tarde para impedir os estragos que entretanto foram feitos na vida deste e de outros cidadãos envolvidos. Entretanto ficam as palavras de Phil Jones na entrevista de ontem à BBC. Vale a pena ler.

54 comentários:

Eduardo F. disse...

Caro Miguel Araújo,

Curiosa essa sua afirmação que o furor sobre o climategate se vai esbatendo com o tempo. A minha opinião é exactamenet a inversa. Por que será? Será por notícias com esta?

Henrique Pereira dos Santos disse...

Eduardo,
São os mesmos a dizer as mesmas coisas há anos, mas não provam nada do que dizem.
O facto é que até hoje ninguém conseguiu demonstrar o mínimo sinal de fraude nesta história toda.
Há erros? Há.
São suficientemente importantes para pôr em dúvida o essencial?
Não.
henrique pereira dos santos

Eduardo F. disse...

Caro Henrique Pereira dos Santos,

Nada de novo, realmente, como os excertos seguintes bem o demonstram (realces meus):

«Phil Jones, the professor behind the "Climategate" affair, has admitted some of his decades-old weather data was not well enough organised.

He said this contributed to his refusal to share raw data with critics - a decision he says he regretted.

He said he stood by the view that recent climate warming was most likely predominantly man-made.

But he agreed that two periods in recent times had experienced similar warming. He also said that the debate had not been settled over whether the Medieval Warm Period was warmer than the current period

Henrique Pereira dos Santos disse...

Eduardo,
Se tem a entrevista original para que quer sucedâneos?
Sim, o período quente medieval está em discussão (até aqui na Ambio isso ja foi referido várias vezes) portanto é mentira que seja a primeira vez que se admite que não é um assuntor resolvido.
SIm, é verdade que ele diz que a organização dos papéis não era perfeita, mas acrescenta que há mais duas fontes autónomas de informação e quem quiser pode fazer o seu próprio tratamento dos dados (quando mcintyre, o papa dos cépticos, o fez chegou à conclusão de que estava frio no período quente medieval).
O que há de novo?
Nada. A não ser uma mais que digna entrevista, com perguntas duras e dificeis a que Phil Jones responde com uma enorme categoria, muito difícil de encontrar no outro lado do debate.
henrique pereira dos santos

EcoTretas disse...

Miguel,
Discordo profundamente da tua análise. Esta entrevista é a prova chocante de que estes cientistas estão a cometer a maior fraude científica de todos os tempos.

Começa logo na primeira pergunta: "Do you agree that according to the global temperature record used by the IPCC, the rates of global warming from 1860-1880, 1910-1940 and 1975-1998 were identical?"

A que se segue uma resposta que inclui: "So, in answer to the question, the warming rates for all 4 periods are similar and not statistically significantly different from each other."

Ora se assim é, alguém me explica porque terá ocorrido um aquecimento tão grande entre 1860 e 1880, ou entre 1910 e 1940? Terá sido pelas emissões de CO2?

E continua o rol de incoerências ao longo da entrevista. Miguel, isto ainda vai muito no início. Somos amadores, não cientistas, sem doutoramentos, nem pos-docs... Mas somos muitos. E muitos vão descobrir muita coisa, como a pouca vergonha de se estarem a descobrir erros básicos nos relatórios do IPCC. Assim que cientistas como tu possam falar abertamente, sem constrangimentos associados a financiamentos, ou outros, podes crer que a lista de asneiras vai deixar Galileu corado... Bastava a desgraça destes senhores não terem preservado os registos históricos de temperatura, para te insurgires, mas não...

Em resumo, esperava um pedido de desculpas deste Jones. Mas não! Este Jones, assim como o Pachauri e o Gore, vão acabar provavelmente onde já deviam estar: na cadeia.

Ecotretas

Alfredo disse...

Peer review:

http://statpad.wordpress.com/2010/02/13/rejected-again-open-mind-isn%E2%80%99t/

Henrique Pereira dos Santos disse...

Caro tretas,
Não vou comentar a pulhice de insinuar que o Miguel tem esta ou aquela posição em função do financiamento da sua investigação porque o Miguel não precisa de advogados.
Faço por isso apenas uma demonstração da sua maneira especial de escolher partes do que os outros dizem para justificar o injustificável:
"The fact that we can't explain the warming from the 1950s by solar and volcanic forcing - see my answer to your question D."
O que Phill Jones diz é claro como água. Pode estar certo ou errado, mas é claro: a tendência actual não pode ser explicada por factores naturais.
Ou seja, o tipo de argumentos do tretas de que se há tendências semelhantes na história esquece que há um conjunto largo de factores a actuar e é preciso ser capaz de explicar as flutuações.
É completamente infantil pretender que um conjunto de dados de um determinado intervalo se explica por si só.
Phill Jones é claro e sério: dá respostas lineares (mesmo quando aparentemente não ajudam ao seu ponto de vista) e explica as razões pelas quais faz as interpretações que faz.
Ao contrário do tretas.
henrique pereira dos santos

Alfredo disse...

"O que Phill Jones diz é claro como água. Pode estar certo ou errado, mas é claro: a tendência actual não pode ser explicada por factores naturais."

E eu que pensava que declarar-se que se conhecem todos os factores naturais era exagerado.

Mas enfim, os deuses têm destas faculdades.

EcoTretas disse...

HPS,

Vamos por partes. Todos sabemos que a investigação académica está dependente, directa ou indirectamente, de financiamentos. A progressão está muito associada também à publicação. Se alguém disse no passado que, por exemplo, o mar vai subir y=20cm num século, o próximo tera que dar um valor y>20cm. E por aí diante. Quem conheces em Portugal que se digne afrontar este raciocínio? Tem esses recebido financiamento como os outros?

Os poucos cépticos que existem não tem interesse nos financiamentos. Nem publicam estudos peer-reviewed, muito simplesmente porque seriam negados. Assim que se começar a conhecer os financiamentos associados, como já se começa a escavar, é que vão ser elas...

Ecotretas

Henrique Pereira dos Santos disse...

Alfredo,
Esteja à vontade para desconversar, mas fá-lo-á sozinho.
Para o caso de não querer só desconversar lembro-lhe a frase que cita é no contexto da comparação de diferentes períodos de tempo. E é nesse contexto que digo que para além dessa comparação é preciso explicá-la. E é ainda nesse contexto que falo do que diz Phill Jones.
Com certeza nunca será possível descrever todos os factores (naturais ou não) mas é possível fazer aproximações.
Lembro-lhe ainda que as aproximações dos negacionistas estão mais longe de estar em linha com a realidade histórica conhecida.
Quando fizerem previsões mais certas que as que existem, óptimo. Até lá, vamos andando com o que temos (incluindo a necessidade de gerir a incerteza).
henrique pereira dos santos

Henrique Pereira dos Santos disse...

Tretas,
A questão é muito simples: insinuaste que o Miguel não é livre de dizer o que pensa sobre o assunto porque depende de financiamentos.
Cresce e ganha um bocadinho de coragem (que te falta até para assinares com o teu nome) e ao menos não negues a insinuação que fizeste inventando uns parágrafos da treta que mais não são que uma forma cobarde de evitares explicitar o que insinuaste.
É um comportamento miserável.
henrique pereira dos santos

EcoTretas disse...

HPS,
Falas de factores naturais, mas continuas sem explicar porque subiu tanto a temperatura entre 1860-1880, 1910-1940 e 1975-2009? O último período supostamente foi por via do CO2, mas e os dois primeiros???

Ecotretas

Alfredo disse...

HPS:

"Quando fizerem previsões mais certas que as que existem, óptimo."

Basta, por tanto, fazer uma qualquer por que será sempre mais "certa" que nenhuma, mesmo que a realidade demonstre que é tão certa quanto ... ruído.

...

Sempre que a conversa não lhe agrada é desconversa.

Henrique Pereira dos Santos disse...

Tretas,
Qual é a parte disto que te levanta dúvidas:
D - Do you agree that natural influences could have contributed significantly to the global warming observed from 1975-1998, and, if so, please could you specify each natural influence and express its radiative forcing over the period in Watts per square metre.

This area is slightly outside my area of expertise. When considering changes over this period we need to consider all possible factors (so human and natural influences as well as natural internal variability of the climate system). Natural influences (from volcanoes and the Sun) over this period could have contributed to the change over this period. Volcanic influences from the two large eruptions (El Chichon in 1982 and Pinatubo in 1991) would exert a negative influence. Solar influence was about flat over this period. Combining only these two natural influences, therefore, we might have expected some cooling over this period."
henrique pereira dos santos

Henrique Pereira dos Santos disse...

Não, Alfredo, não é porque a conversa me desagrada.
Repare no seu último comentário:
"Basta, por tanto, fazer uma qualquer por que será sempre mais "certa" que nenhuma"
Covenhamos que no contexto da discussão isto é só desconversa, porque sabe perfeitamente que não se trata de uma qualquer mas de uma suportada em centenas de investigações pelo mundo fora, com milhares de cientistas envolvidos e fortíssimamente sujeita (e bem) a um escrutínio permanente.
"mesmo que a realidade demonstre que é tão certa quanto ... ruído."
Ora o que lhe falta a si (e a qualquer negacionista) é demonstrar esta conversa. Uma coisa é dizer que não há certezas absolutas sobre quem tem razão (matéria em que estamos muitos de acordo) outra coisa é concluir que há a demonstração (ou mesmo indícios suficientemente fortes) para dizer que a explicação disponível (é a única, os negacionistas não se atrevem a fazer uma descrição do mundo, entretêem-se a procurar erros no que os outros fazem, que é bemmais confortável) está invalidada pela realidade.
É só por isso que é desconversa. Porque sabe tão bem como eu isto mas finge que não fazendo umas piruetas de argumentação com as do seu último (e muito pobre) comentário.
henrique pereira dos santos

EcoTretas disse...

HPS,
Comportamento miserável é o dos cientistas que não falam verdade, ou sabem que isto é uma vergonha mas preferem ficar quietos e confortáveis, por receio de perca de algo. A Humanidade irá julgá-los, mais tarde!
Ecotretas

EcoTretas disse...

HPS,
Não desconverses, como tanto criticas os outros! Não estou a falar de 1975->
Porque subiu tanto a temperatura entre 1860-1880, 1910-1940?
Ecotretas

Henrique Pereira dos Santos disse...

A interpretação razoável da resposta é que os factores naturais citados como apontando para um arrefecimento agora estavam a trabalhar em sentido inverso nesses períodos.
É a minha interpretação da resposta.
Está certa? Não faço ideia mas se quiserem podem explicar-me por que razão esta hipótese não se verifica.
henrique pereira dos santos

EcoTretas disse...

HPS,
Ahhhh! Portanto os factores naturais podem contribuir para um aquecimento como o que se verificou entre 1975-2009. Só que não agora, só no passado (1860-1880, 1910-1940)?
Boa!
Ecotretas

Henrique Pereira dos Santos disse...

Tretas,
Não sabias disso?
Claro que podem. Só que agora a temperatura não está a descer como seria expectável com o que se sabe dos factores naturais, logo, alguma coisa se alterou.
A ser verdade isto, como se supõe, quando eles tiverem a ter um comportamento como o que tiveram no passado, e este tal factor que tem impedido a temperatura de descer mais também estiver a actuar, vai haver mais aquecimento.
Isto é o Bê á Bá da discussão.
Tens andado distraído, tretas.
Ou então é mesmo só tretas.
henrique pereira dos santos

Alfredo disse...

HPS:

"Covenhamos que no contexto da discussão isto é só desconversa, porque sabe perfeitamente que não se trata de uma qualquer mas de uma suportada em centenas de investigações pelo mundo fora,"

As centenas de investigações são suportadas umas nas outras, como o HPS sabe mas faz de conta que não.

"com milhares de cientistas envolvidos e fortíssimamente sujeita (e bem) a um escrutínio permanente."

Escrutínio dos que estão no mesmo barco. Porque o barco que não lhes (e a si também) interessa é "negacionista".

Escrutínio de quem revê trabalhos baseados em dados que os autores não sabem exactamente onde estão ou de onde vieram ou como foram processados.

Coisa de crentes da religião do aquecimento global.

Alfredo disse...

HPS:
"Só que agora a temperatura não está a descer como seria expectável com o que se sabe dos factores naturais, logo, alguma coisa se alterou"

Não seria razoável, em primeiro lugar incluir na conclusão, a hipótese de não estarem incluídos nos cálculos factores naturais ainda desconhecidos, ou os factores dos processos naturais conhecidos estarem errados, ou ambos?

Já sei, já sei. Estarei a desconversar se disser que os deuses são assim. Quando as "contas" não batem certo, a culpa é do homem.

EcoTretas disse...

HPS,
Nem sei como te responder. Então a temperatura não está a descer como expectável??? Onde é que no peer-review isso foi previsto? Ou foi o IPCC? Bolas, o Gore não foi, porque ele até subiu num monta-cargas no filme dele!!! HPS, diz-me lá quem fez essas magníficas previsões?

E depois, alguma coisa se alterou? Francamente, o que é que se alterou HPS? Eu só vejo duas alterações recentes substanciais, os bloggers e o climategate, mas o Miguel diz que não à última! Foram os primeiros, HPS?

Mas, dizes tu "quando eles tiverem a ter um comportamento como o que tiveram no passado, e este tal factor que tem impedido a temperatura de descer mais também estiver a actuar, vai haver mais aquecimento.". Ai vai? Quem são esses eles? O CO2 não tem parado de subir... Estás à espera que ele comece a descer? Por mim, tenho a certeza que podes esperar sentado!

Distraído, eu? Parece que está muita gente a acordar, e agora vão começar a distorcer tudo o que foi dito por eles até agora. Vai ser lindo vai!

Ecotretas

EcoTretas disse...

HPS,
Quem são os "milhares de cientistas envolvidos"? É que se forem os milhares do IPCC, isso já foi ridicularizado há algum tempo: http://ecotretas.blogspot.com/2009/12/contar-maneira-do-ipcc.html
Ecotretas

Alfredo disse...

Mais um negacionista:

http://eureferendum.blogspot.com/2010/02/denier.html

.

Alfredo disse...

http://www.telegraph.co.uk/comment/columnists/christopherbooker/7231466/British-Council-gets-in-on-the-climate-act.html

"All this, it is comforting to know, is being led by the climate-change activist Dr David Viner, formerly employed by East Anglia's Climatic Research Unit (the focus of the "Climategate" emails scandal), who is most famous for the prediction he made in 2001, that within a few years winter snow would become "a very rare and exciting event". No doubt the climate champions we are funding in the eastern US will have been grateful for our support last week as they tried to explain the several feet of snow across the region which broke records established in the 1880s. What it all has to do with Macbeth or Pride and Prejudice is something of a mystery."

Este David Viner fazia também parte dos milhares. E financiava milhares.

Afirmava, que a neve iria desaparecer.

Claro que, na altura, a máxima "weather is not climate" seria desconversa.

Henrique Pereira dos Santos disse...

Camaradas,
Disfarcem, mas atrás de vocês está um homem que vos segue permanentemente. Se não o vêem é a demonstração de que existe uma conspiração para vos seguir sem darem por isso.
Pelos vistos preferem este registo ao registo sério de Phill Jones.
Be happy.
henrique pereira dos santos

EcoTretas disse...

HPS,
Não digas que não vais responder às minhas perguntas... Fico triste, porque sou eu um dos que persigo esses milhares de cientistas, que referiste, e que assim não sei quem são ;-)
Ecotretas

Henrique Pereira dos Santos disse...

Tretas,
Quem confunde os milhares de cientistas que investigam o assunto, que publicam os seus resultados, que assinam o que dizem (ao contrário de ti), que submetem o que dizem ao escrutínio de todos (ao contrário do teu blog)com os que contribuem para o relatório do IPCC é evidente que não precisa de respostas: teve um dia uma epifania que o dispensa de pensar e estudar.
henrique pereira dos santos

EcoTretas disse...

HPS,
Ainda bem que não são os cientistas do IPCC. Mas então, para ser equilibrado, não te esqueças dos milhares de cientistas que não concordam e são cépticos...
Ecotretas

Eduardo F. disse...

Alguns ecos da entrevista de Phil Jones à BBC, estação conhecida pela sua mui especial "isenção" na matéria do "aquecimento global/alterações climáticas". Vale a pena ler.

*Neither the rate nor magnitude of recent warming is exceptional.

*There was no significant warming from 1998-2009. According to the IPCC we should have seen a global temperature increase of at least 0.2°C per decade.

*The IPCC models may have overestimated the climate sensitivity for greenhouse gases, underestimated natural variability, or both.

*This also suggests that there is a systematic upward bias in the impacts estimates based on these models just from this factor alone.

*The logic behind attribution of current warming to well-mixed man-made greenhouse gases is faulty.

*The science is not settled, however unsettling that might be.

*There is a tendency in the IPCC reports to leave out inconvenient findings, especially in the part(s) most likely to be read by policy makers

Henrique Pereira dos Santos disse...

Eduardo,
Em vez de ler por si, prefere que outros leiam e lhe expliquem o que deve ler no original.
Phill Jones diz o que diz, mas o importante é o que os outros dizem que ele diz.
Há quem goste do mundo assim. Eu prefiro pensar pela minha cabeça.
henrique pereira dos santos

Alfredo disse...

http://www.telegraph.co.uk/comment/columnists/christopherbooker/7231466/British-Council-gets-in-on-the-climate-act.html

Alfredo disse...

HPS:

"Em vez de ler por si, prefere que outros leiam e lhe expliquem o que deve ler no original."

"Eu prefiro pensar pela minha cabeça."

Claro. E pensar pela sua cabeça resulta na verdade absoluta, aquela que, em relação a Jones, é o mesmo que a cabeça original.

A cabeça do HPS é um referencial. A cabeça de outros é apenas o pensamento da cabeça de ouros.

Eduardo F. disse...

Caro HPS,

Em vez de apodar outros de idiotas - «incapazes de pensar pela sua própria cabeça» - até mesmo quando, há dias, muito humildemente, HPS reconheceu que só «percebe um quarto do que lê», talvez seja melhor usar de algum comedimento nos contra-comentários e não tentar fazer passar, como tentou, que se (eu) estava a ignorar o “original” substituindo-o por uma sua interpretação (“errada”, naturalmente). Não era isso que estava no link que eu referi no comentário das 01h25. O que lá está - http://wattsupwiththat.com/2010/02/14/phil-jones-momentous-qa-with-bbc-reopens-the-science-is-settled-issues/ - é a transcrição da entrevista a Phil Jones comentada por quem não concorda com as suas teses e sabe do que fala (o que manifestamente não sucede comigo).

Eduardo F. disse...

Caro HPS,

Quando determinada tese sai do perímetro da "confraria científica" e é usada, pelos políticos, para caucionar escolhas que envolvem maciças reafectações de recursos (e resultante redistribuição de rendimentos…), é ilegítimo que se pretenda fazer recair sobre os cépticos o ónus da “não prova” ainda por cima quando determinada “ciência” incorpora a impossibilidade do exercício da sua refutabilidade. Cabe aos proponentes dessas teses, isso sim, demonstrar, paciente e serenamente, os méritos da sua ciência.

Pretende-se fazer crer que o “Big Oil” está por detrás dos cépticos, única explicação plausível para explicar a sua renitência em aderir à “Verdade Oficial” quando o apocalipse se aproxima vertiginosamente. Interessante esta tese. BP já não significa “British Petroleum” mas sim “Beyond Petroleum”, e mesmo o seu logótipo passou – sinal dos tempos – para um ecológico sol rodeado de um ecológico verde. A esta luz, a EDP e o BES, para dar uns exemplos nacionais, são, como se sabe, duas organizações dedicadas à filantropia.

joserui disse...

BP já não significa “British Petroleum” mas sim “Beyond Petroleum”, e mesmo o seu logótipo passou – sinal dos tempos – para um ecológico sol rodeado de um ecológico verde.
E a isso chama-se greenwash (wikipedia). A EDP é dos mais miseráveis exemplos nacionais de greenwash com os seus lamentáveis anúncios. Qual é o seu ponto exactamente? Também está a querer inverter isto? A Zazie é que vos topou bem topados. São o bloco de esquerda de cabeça para baixo. E dizem-se de direita. -- JRF

Eduardo F. disse...

O Prof. Delgado Domingos é para o Ambio uma personalidade incómoda. O seu recente artigo publicado no “Público” (disponível em http://jddomingos.ist.utl.pt/AlteracoesClimaticas/A-Uniao-Europeia-Alteracoes-Climaticas-R-20100207Publico.pdf), intitulado, muito propriamente, ”Se a UE quer liderar, tem de dar o exemplo de uma fundamentação científica das suas propostas sem contaminações políticas” retoma alguns aspectos da polémica com Miguel Araújo travada em Dezembro último (consultável em http://dererummundi.blogspot.com/2009/12/delgado-domingos-e-miguel-araujo.html). Pois é: The science is not settled, however unsettling that might be.

Já o Prof. Pinto de Sá, na continuação do seu notável exercício de serviço público que é o seu blog (http://a-ciencia-nao-e-neutra.blogspot.com/), nos chama a atenção para as consequências, voluntaristas e irreflectidas, típicas dos adeptos da "engenharia social" que determinadas escolhas acabam por provocar “à pala” de iniciativas verdes em muito tingidas de negro. É dele, Prof. Pinto de Sá, a chamada de atenção para o estudo da Universidade Juan Carlos de Madrid” (disponível em http://www.juandemariana.org/pdf/090327-employment-public-aid-renewable.pdf) a propósito da suposta “economia verde. Segundo o mesmo, «por cada 4 novos empregos criados pela economia das energias renováveis, são destruídos 9, e isto sem contar com os empregos que poderiam ter sido criados com os subsídios concedidos aos produtores eólicos».

Dois exemplos, apenas. Duas autoridades nacionais(*). Mesmo que estivessem errados não há como ignorar as suas opiniões: por um lado, The science is not settled, however unsettling that might be; por outro, agendas políticas ocultas em nome de ciência controversa, constituem fraudes políticas. Razões de sobra de indignação para todo o cidadão interessado.

(*) - Ainda por cima, são duas personalidades que cometem a ousadia de terem opiniões próprias, não coincidentes e até contrárias entre si. Que "interesses" estarão a defender?

Obs: nesta altura, a tag html dos links não está a funcionar, razão pela qual os links indicados não são "vivos". As minhas desculpas.

Eduardo F. disse...

Caro joserui,

Fique com a ignomínia. Assenta-lhe bem. Quanto a blocos, irritam-me supinamento. Estúpidos até dizer chega.

Henrique Pereira dos Santos disse...

Caro Eduardo,
A grande maioria dos comentários não são a rebater or argumentos do Phill Jones, são a reinterpretar as suas respostas de forma a pôr o Phill Jones a dizer o que ele não disse. Ou seja, a ensinar-nos como devemos ler a entrevista.
henrique pereira dos santos

Henrique Pereira dos Santos disse...

Eduardo,
Delgado Domingos é tão incómodo para a AMBIO que eu mesmo chamei a atenção para o seu artigo do Público, até por constituir uma notável evolução em relação ao artigo do Expresso.
E veja que até o convidámos para escrever aqui no blog.
henrique pereira dos santos

Alfredo disse...

Phil Jones (mails):

"I can’t see either of these papers being in the next IPCC report. Kevin [Trenberth] and I will keep them out somehow — even if we have to redefine what the peer-review literature is!"

Ontem:

"I don’t think we should be taking much notice of what’s on blogs because they seem to be hijacking the peer-review process,"

Anónimo disse...

Alfredo:

Você é desonesto.

A primeira frase de Phil Jones está mais que explicada na entrevista e se for ver nenhum dos artigos citados estão fora do relatório do IPCC apesar de, nas palavras de Phil Jones, serem tão maus que nunca deveriam ter sido publicados.

A segunda frase explica-se pelo tipo de intervenções que se vêm aqui e noutros blogues. A desonestidade é tal que de facto não se deve prestar demasiada atenção às parvoices que se lêem nos comentários a blogues e nos textos centrais de muitos deles também. Ou seja, se o peer review é imperfeito a verdade é que é muito menos mau do que a porcaria que se publica nos blogue sem qualquer tipo de avaliação.

Os blogues são espaços de liberdade mas a liberdade tem destas coisas: permite o direito à asneira e à estupidez mais profunda.

HT

Alfredo disse...

HT.

"Ou seja, se o peer review é imperfeito a verdade"

"Imperfeito" Hmmm. Quem diria.

Talvez à justa medida que permite que os blogs sequestrem o peer review.

Não fosse o peer review aquecimentista desonesto, nunca a coisa teria ido para onde foi.

Quem semeia ventos colhe tempestades ... ah! Já me esquecia: não confundir clima com meteorologia.

Alfredo disse...

"B - Do you agree that from 1995 to the present there has been no statistically-significant global warming

Yes, but only just. I also calculated the trend for the period 1995 to 2009. This trend (0.12C per decade) is positive, but not significant at the 95% significance level. The positive trend is quite close to the significance level. Achieving statistical significance in scientific terms is much more likely for longer periods, and much less likely for shorter periods. "

...

"The positive trend is quite close to the significance level. "

Imagine-se que ultrapassava, mesmo que tangencialmente. Mesmo assim "the science is settled".

kandimba disse...

Phil Jones foi cuidadoso na linguagem que utilizou e modesto, admitindo potenciais falhas na sua investigação. Os negacionistas, que usam dados falsos e nunca admitiram um erro, agora caem em cima dele. Pior, não o fazem com base na entrevista à BBC mas com base na interpretação idiota que o tablóide Daily Mail fez da entrevista. E ainda falam em "tretas"...

José M. Sousa disse...

A propósito do artigo de Delgado Domingos ao Público, e quanto às recomendações do IPCC sobre a redução das emissões, recomendo o quadro na pág. 39 deste documento do Working Group III do AR4 do IPCC Quem tenha a mínima noção das grandezas da economia global perceberá que os apelos e os receios quanto ao caminho que estamos a seguir não têm nada de alarmistas. Que muita gente opte pela estratégia da avestruz, isso é problema de outro foro!

Anónimo disse...

http://www.kusi.com/home/84702612.html?video=pop&t=a

.

Anónimo disse...

http://www.probeinternational.org/files/UKVersieHenkTennekes.pdf

José M. Sousa disse...

House of Commons exonerates Phil Jones Nota: "exonerate" significa "ilibar", para não haver mal-entendidos.

José M. Sousa disse...

O que terá o Prof. Delgado Domingos a dizer agora sobre a suposta maior fraude cietífica do Séc.?

José M. Sousa disse...

Resultado do 2º inquérito sobre o "Climategate"

José M. Sousa disse...

Mais um caso de denúncia de falta de ética por parte dos "negacionistas" das alterações climáticas. Ler carta aberta de cientistas franceses aqui.

José M. Sousa disse...

U.S. National Academy of Sciences labels as “settled facts” that “the Earth system is warming and that much of this warming is very likely due to human activities”