terça-feira, julho 27, 2010

O Leste e as alterações climáticas

Ontem e hoje parece que a coisa vai caindo para as características mais típicas das condições meteorológicas associadas ao vento Leste. A partir de amanhã o vento parece-me que muda e os incendiários tirarão algum descanso. Razão tinha o Almodovar.
Previsivelmente para estas condições meteorológicas, a coisa está complicada, 14 fogos registados a esta hora no site da protecção civil, metade deles vindos de ontem (lá se vai a teoria da extinção nas primeiras fases e o ataque rápido e fulminante, com meios aéreos, que nos explicaram que eram responsáveis pelo êxito dos anos passados).
A esta hora (e estamos nas primeiras horas da manhã), nas regiões com mais fogos a humidade atmosférica já ronda o 30%. Felizmente o vento tem sido fraco.
Continuo a achar que os índices de risco de incêndio deveriam ter um plus nos dias de vento Leste.
Pois sendo tudo isto previsível e de acordo com os cânones, lá vêm os jornais em parangonas de primeira página a falar de ondas de calor e etc., e pelo menos o Público com referências ao aquecimento global.
Da mesma forma que protestei com os tontinhos que escarneciam do aquecimento global porque estava frio no Inverno, protesto com o absurdo de associar estas condições meteorológicas ao aquecimento global.
Tempo é tempo, meteorologia é meteorologia e clima é outra coisa.
Mas a sensação que me fica é que anda muita gente a Leste do paraíso.
henrique pereira dos santos

9 comentários:

Miguel disse...

O James Dean ilustra o post por algum motivo em particular?! :)

Anónimo disse...

Entretanto o Tretas continua maravilhado com o facto de no hemisfério sul ser Inverno. LOLOL

José M. Sousa disse...

Pois é, mas convém não perder isto de vista, porque,apesar de tudo, não existe propriamente uma simetria nessas duas posições.

José M. Sousa disse...

E a propósito dos nevões Research says big snow storms not inconsistent with — and may be ampliflied by — a warming planet

Anónimo disse...

"O Leste e as alterações climáticas"

Whether is not climate.

Anónimo disse...

"East of Eden"

A Leste do Paraíso

DS

pedrocardialopes disse...

Entre as 06:30h e as 11:00h da manhã do dia em que este post foi escrito andei pela zona costeira e ribeirinha do grande Porto. Estava um vento leste que levantava areia a mais de 1,5 m e era suficientemente forte para me abanar com força. Se calhar o vento fraco que o Henrique menciona refere-se a otras zonas do país?

Pedro Cardia

Henrique Pereira dos Santos disse...

Pedro,
Andei pela mesma zona um pouco mais tarde e nem uma agulha bulia (e via as pessoas na praia até às oito da noite).
Não vale pena fazer discussões destas com base em impressões pessoais pontuais.
Compare as medidções meteorológicas de 2003 com as destes dias nos locais onde houve fogos (em 2003 na zona despovoada e com continuidade de combustiveis do pinhal interior, estes dias nas zonas mais habitadas do país e com mais descontinuidades, como são os distritos do Noroeste).
Paulo,
Há anos que falo da gestão de combustiveis, não é agora que falo disso. Que há dinheiro a mais no combate para os resultados não tenho dúvidas. Mas que isso não nos distraia do essencial: o combate sem gestão de combustiveis é uma receita para o desastre.
henrique pereira dos santos

Anónimo disse...

E 20 x 365 previsões meteorológicas diárias certas já seriam um modelo climático?
Explicação suplementar: 20 de anos, 365 de dias.