terça-feira, dezembro 21, 2010

O terra alerta acabou (outra vez)

Imagem roubada daqui
Há alguns, poucos, programas ambientais, com conteúdos fortes de biodiversidade, na televisão portuguesa, tanto quanto sei (habitualmente não vejo televisão).
Há o Biosfera (que vai dando também nos vídeos dos comboios Alfa, sequências de vídeo que aliás têm repetições frequentes em curtíssmos espaços de tempo, numa clara demonstração de falta de respeito da CP pelos seus clientes), com um carácter mais institucional (mesmo que seja o institucional das ONGs e por aí) e havia o Terra Alerta, mais aberto ao que não é o mainstream ambiental.
Esta última série teve treze programas, se não me engano, sempre com uma estrutura relativamente simples mas eficaz: uma reportagem de fundo sobre um tema (a maior parte, de biodiversidade), uma reportagem sobre acções concretas que estão a ocorrer no país e uma reportagem sobre heróis ambientais mais ou menos anónimos (nem sempre os mais evidentes, o que se saúda). O que fica na net é um excelente material de comunicação.
Se acabou é porque a televisão o acha um programa sem interesse suficiente (isso pode não ter nenhuma relação com o seu interesse intrínseco, pode ser simplesmente a relação de custo/ benefício que não é a desejada pela direcção de programas, suponho eu).
Ora um programa não ter interesse para uma televisão quer dizer que não atrai o suficiente a publicidade de que vive o canal de televisão.
Ou seja, nos casos dos programas de biodiversidade, que, ou são muito caros de realizar ou implicam mais entrevista que imagens de vida selvagem (pelo menos as imagens espectaculares de lobos a atirar-se à jugular de um corço, ou de uma cria de veado a nascer), a biodiversidade ainda não é um factor de mercado suficientemente poderoso para fazer diferença nas vendas, seja na publicidade da televisão, seja nos produtos e serviços que poderiam querer associar-se à biodiversidade.
Sempre tive curiosidade de saber se este tipo de programas são muito ou pouco vistos na televisão.
A resposta é nem muito, nem pouco, têm audiências razoáveis.
No caso do Terra Alerta, tem audiências um pouco acima da média do canal onde é exibido (não esqueçamos que é um canal por cabo).
O que não deixa de nos colocar uma questão: o que fizemos nós em mais de trinta anos de sensibilização ambiental que não criámos sequer um público sólido (e se quisermos, um grupo suficientemente alargado de consumidores que orientem as suas escolhas também em função da percepção do benefício para a biodiversidade) para sustentar a continuidade de programas de produção própria dos canais de televisão portugueses?
Temo que caminhemos como em relação à formação de públicos culturais: em vez de criarmos milhares de pequenos grupos de teatro e de ensinarmos sofriveis executantes de instrumentos musicais, que acabam em espectadores exigentes e conhecedores, distribuímos bilhetes de borla para os espectáculos, que chegam a ter lotação esgotada com a sala meia vazia.
Por isso eu gostava tanto do programa "Florestas em movimento", criado por Branco Vasco, assente na ideia base de que mudar a visão urbana que hoje existe sobre a floresta implica o contacto directo das pessoas com a floresta.
Assim diria eu que deveria ser toda a educação ambiental orientada para a biodiversidade: uma imersão em espaços naturais, que fosse mais que um passeio de autocarro.
henrique pereira dos santos

5 comentários:

Anónimo disse...

ó HPS, não fique desiludido, ainda temos a Secret Story, um verdadeiro documentário sobre a vida animal

Henrique Pereira dos Santos disse...

tive de ir ver que programa era esse, que desconhecia.
assim sendo sempre vai havendo qualquer coisa.
Já agora, eu não fico desiludido, limito-me a constatar resultados.
henrique pereira dos santos

Miosotis disse...

É uma pena ter acabado esta primeira série do programa Terra Alerta. Esperemos que a Sic Notícias mantenha esta boa aposta e encomende mais séries.
Joana Simões

simplycommuting disse...

O TA teve sempre óptimas audiências e o TA original que passava no Jornal da Noite na SIC de sinal aberto puxava sempre o jornal desse dia para cima na guerra das audiências.

Infelizmente a decisão da SIC foi a de não incluir esta excelente série de programas na emissão do canal generalista e assim possibilitar ao grande público o contacto não só com um bom produto televisivo, mas especialmente que aborda uma temática positiva, que contribui para construir um país melhor habitado por cidadãos conscientes e responsáveis das questões ambientais.

Este artigo é muito importante na medida que pode contribuir para uma construir opinião que exija uma segunda série do programa e consiga o suporte de patrocínio necessário à sua concretização.

LXSustentavel.com disse...

Olá Henrique,

Este post é um dos nomeados dos Green Blogger Awards de Dezembro de 2010:

http://www.lxsustentavel.com/2010/12/29/nomeados-green-blogger-awards-dezembro-2010/


Parabéns !